sábado, 9 de maio de 2009

O Uso da Crase

PLANTÃO DO VESTIBULANDO Uma maneira simples de aprender a como chegar lá... O Uso da Crase* Olá, pessoal! Trago para vocês algumas dicas de como usar o acento grave, indicador da crase, esse sinal que se posiciona ao contrário do acento agudo. Vamos lá? Conceito básico: * A crase indica a fusão da preposição A com o artigo A. Exemplo: João voltou à (A preposição + A artigo) cidade natal. * Desta forma, não existe crase antes de palavra masculina. Exemplos: Vou a pé. Andou a cavalo. Obs.: O A que vocês veem nas frases é apenas a preposição exigida pelo verbo. * Apesar de haver exceção, seguindo estas regras vocês terão mais probabilidade de acerto nas provas. Regras práticas: 1ª) Substitua a palavra antes da qual aparece o A ou AS por um termo masculino. Se o A ou As se transformar em AO ou AOS, existe crase; do contrário, não. Substituindo a frase: João voltou à cidade natal por João voltou ao país natal, percebemos que o à se transformou em ao, uma vez que a palavra feminina cidade foi transformada na palavra masculina país. Assim, a preposição permanece (a), mas passa a se unir com o artigo masculino (o). Então: A preposição + A artigo = CRASE; A preposição + O artigo = AO.
2ª) No caso de nomes geográficos, as dicas são: substitua o A ou AS por PARA. Se o certo for PARA A, haverá crase. Exemplos: Foi à França. = Foi para a França. Irá à Colômbia = Irá para a Colômbia. Voltou a Curitiba = Voltou para Curitiba. (sem crase) Ainda a respeito dos nomes geográficos, pode-se usar a forma VOLTAR DE: se o DE se transformar em DA, haverá crase: Retornou à Argentina = Voltou da Argentina. Foi a Roma = Voltou de Roma (sem crase)
3ª) Usa-se também a crase nas formas: àquela, àquele, àquelas, àqueles, àquilo (e derivados). Exemplos: Cheguei àquele (a + aquele) lugar.
4ª) Usa-se crase nas indicações de horas. Ex.: Chegou às 8 horas, às 10 horas.
5ª) Em algumas locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas também há crase: às pressas; à risca; à noite; à direita; à esquerda; à frente; à maneira de; à moda de; à procura de; à mercê de; à custa de; à medida que; à espera de; etc.
6ª) Usa-se crase nas locuções que indicam meio ou instrumento e em outras nas quais a tradição linguística o exija, como: à bala, à faca, à máquina, à chave, à vista, à toa, à tinta, à mão, à espada, etc. É importante lembrar que, para esta regra, não vale usar a dica de substituição de A por AO. Para quem deseja aperfeiçoar a técnica, pode procurar manuais de gramática ou na Internet! É isso aí, pessoal! Espero que tenham aprendido um pouco mais! Até a próxima!
*Matéria publicada pelo Jornal A Semana de Pirapora/MG, em abril/2009, pela colunista Juliana Barreto.

2 comentários:

Maria Alice Mendes disse...

Encontrei um texto assim: As praias, que ficam à Leste, eu as conheço todas.
Existe crase antes dos pontos cardeais? E por quê? Há uma regra para esse uso específico?
Aguardo, por favor, uma resposta

Libriana disse...

Olá, Maria Alice. Perdoe-me a demora, tive alguns problemas com a internet. Pelo o que você me passou, a crase se justifica pelo fato de a expressão "À Leste" ser um adjunto adverbial de lugar, ou seja, uma expressão que é utilizada com a função de proporcionar ao verbo uma ideia de localização, lugar.
Entretanto, já encontrei pelo menos 2 formas gramaticais distintas e contraditórias quanto aos pontos cardeais. A primeira foi a que expliquei acima (com crase) e, a segunda, diz respeito a não usar crase antes de palavras masculinas (o leste, o sul, o norte... não haveria crase, de acordo com esta regra).
Mas para te dar uma resposta mais concreta, prefiro dizer que leva crase, sim, pois, além de se tratar de um adjunto adverbial de lugar, a expressão pode estar tornando subentendida a ideia de "na direção de".
É igual o uso da crase nas expressões "à moda" ( à moda de Camões), por exemplo, nas quais se usa a crase mesmo se a palavra for masculina.
Juntando as duas regras que citei (a favor do uso da crase), creio ter explicado a você a maneira mais adequada: à leste.
Um abraço!